9 Dicas para Acabar com a Fome Emocional

fomeemocional

Você viu que neste último mês falei exclusivamente sobre a fome emocional. Por um simples motivo: é ela que origina a compulsão alimentar, e como você viu aqui neste post, a compulsão se tornou um transtorno alimentar em virtude das mazelas que pode ocasionar!

Não há dúvida de que os desequilíbrios emocionais podem obrigá-la a comer muito, mas com uma mente consciente você pode facilmente superar isso e se concentrar em eliminar peso – mais do que isso, em alcançar um patamar de saúde. 

Hoje eu trouxe 9 dicas de como você pode manter suas emoções longe da geladeira, da mesa de jantar e dos armários da cozinha!

1. Gerencie suas emoções

via GIPHY

Gerenciar suas respostas emocionais é ESSENCIAL para que você possa controlar sua fome emocional. Diga-se de passagem: quando falo em respostas emocionais, estou falando especificamente da ansiedade e do estresse. Se você sofre com os sintomas psicofísicos destas respostas emocionais, é bem provável que você sinta fome emocional e que pule de cabeça nos chamados “alimentos confortáveis”. Muita coisa pode ser feita para gerenciar o estresse e a ansiedade: meditação, relaxamento, exercícios psicofísicos (como pilates e yoga) podem ajudar muito!

2. Aprenda a diferenciar a fome física da fome emocional

Já fiz um post (este aqui) com 6 dicas essenciais para você aprender a diferenciar a sua fome emocional da fome fisiológica. Em resumo, ambas tem características bem diferentes e, com um pouco de treino, você pode se tornar muito eficiente em perceber quando a fome é emocional. O procedimento a seguir é como se fosse fosse um adicto mesmo: aguente firme e diga para si mesma que “agora não”. Existe uma fase, tal como a abstinência, em que isso é mais difícil, mas passando por ela, você terá muito mais facilidade em manter o controle.

 

3. Faça um diário

Já começo aqui dizendo: não se desespere. Frequentemente eu passo este exercício no consultório e SEMPRE passo nos workshops. O problema maior é que automatizamos o comer e comemos sem ter consciência. Quando paramos para observar e anotar absolutamente tudo o que comemos, tomamos um baita susto! O objetivo do diário é trazer maior consciência e também um parâmetro para comparação posterior – a ideia é que você vá mudando aos poucos seu modelo cognitivo em relação à alimentação e passe a comer menos, a partir do controle e/ou eliminação da fome emocional!

DICA EXTRA: Se você ainda tiver dificuldade em saber quando você tem fome fisiológica e quando você tem fome emocional, aproveite o diário para escrever sobre seus desejos por comida, na sequência, anote também as associações: que pensamentos vem a tona? O que você está sentindo? O que estava fazendo, pensando e sentindo antes do desejo pelo alimento específico? Isso ajudará que você se torne cada vez mais consciente do seu modelo cognitivo alimentar, o que possibilita efetuar mudanças emocionais e comportamentais em relação ao alimento.

4. Grupo de Apoio

Nada é mais gratificante de dançarmos onde toca nossa música favorita, certo? Quando você pensar em grupo de apoio, lembre-se daquela frase de Nietzsche:

“E aqueles que foram visto dançando foram julgados insanos pelos que não ouviam a música”

Muitas vezes, até por uma questão cultural, quem está obesa ou mesmo com sobrepeso é considerada preguiçosa, sem vontade, etc, etc, etc, pela maioria das pessoas que não tem este mesmo problema. É normal que as pessoas não te compreendam: elas entendem sequer sobre suas próprias emoções, que dirá a dos outros. Estar num grupo de apoio permite uma vivência fabulosa, de crescimento conjunto, de compreensão mútua e, não é raro, criarmos amizades duradouras, baseadas sempre numa história de superação e crescimento! A ideia é que no grupo de apoio, todos dancem a mesma música, sem medo de ser feliz!

Aqui na Inspire temos um grupo de apoio sendo formado! Caso queira mais informações, nos envie um email contato@inspiredesenvolvimento.com.br

5. Distraia-se

É importante ter um arsenal de coisas para distração em momentos de tédio – quando frequentemente surge a fome emocional. Um bom filme, um seriado, um livro bacana, um passeio ou uma conversa ao telefone com uma amiga querida são coisas que podem “alimentar” seu tédio sem sobrecarregar seu corpo!

6. Livre-se das tentações!

Quando passamos a gerenciar melhor nossas emoções, seguir uma dieta fica fácil. O problema é resistir as tentações quando estamos nos extremos: muito cansada, muito estressada, muito angustiada. O melhor mesmo é nos livrar das tentações. Várias dicas aqui: não tenha porcarias dentro do armário, nem na geladeira (e se você dá a desculpa que você precisa ter porcarias pra dar para seus filhos, veja como está sendo difícil pra você lidar com isso e avalie o que você tem ensinado nutricionalmente em casa!); não vá ao supermercado com fome ou sob fortes emoções ( a chance de cair em tentação é muito maior); não coma quando estiver irritada ( tente aliviar a tensão antes de sentar-se para comer).

7. Não seja dura demais consigo mesma.

Está querendo eliminar peso? Pare já de brigar consigo mesma, com sua imagem, com o que você é! A diferença brutal entre fazer milhares de dietas e se propor a um tratamento psicoemocional para ter saúde (e, consequentemente, eliminar peso) é justamente transformar esta guerra interna em uma relação amorosa consigo mesma, descobrindo e fortalecendo seus pontos fortes, para que mudar os pontos fracos seja um processo mais tranquilo e viável. O propósito não é reduzir o consumo de calorias do dia a um mínimo, não é optar por dietas restritivas demais, fazer exercícios até a exaustão! Toda esta privação pode ocasional em hábitos pouco saudáveis – e mais peso!

8. Lanches saudáveis MODE ON

VEJA BEM! Se tem uma coisa que nos impede de “jacar” são os lanchinhos saudáveis! Tem algo que eu ensino para todos que passam por mim, é chamado “planejamento nutricional”, mas pode esquecer aquelas dietas super rígidas! Coma só quando estiver com fome de verdade, e opte por coisas saudáveis e naturais, que farão bem para o seu corpo e para as suas emoções – sua autoestima vai aumentar, o sentimento de autoeficácia e autoconfiança também! Planeje o que comer durante a semana e vá ao mercado UMA única vez na semana. Lave todas as frutas, legumes, verduras e folhas, deixe tudo pronto para consumo, assim, quando estiver cansada, terá sempre algo bom e saudável para escolher! Sobre os lanchinhos: eu prefiro sempre o que não é industrializado! Frutas secas e castanhas! Compro tudo pra semana, chego em casa e separo tudo nos meus potinhos e carrego dentro da bolsa. Perfeito pra correria do dia a dia!

9. Aprenda com seus erros – comemore as vitórias!

De tempos em tempos, avalie seu diário e perceba quais foram seus maiores erros. Diante de um erro, escreva-o e anote quais as medidas necessárias para que a situação não se repita, mas procure ser bem realista!  Essa é a maneira mais centrada para que você se torne cada vez mais assertiva neste novo caminho de saúde e bem estar.

Não esqueça de anotar também seus acertos e vitórias! Medir seus esforços e resultados faz com que você tenha consciência do que mudou e do quanto mudou, o que possibilita motivar-se mais a cada dia!

 

Tem mais?

Tem sim! Você quer saber se você tem compulsão alimentar? Existe um teste psiquiátrico que nos ajuda com um parâmetro e, por não ser material de exclusividade do psicólogo posso mandar para você! Curtiu a ideia? É só deixar um “EU QUERO” aqui nos comentários que eu te envio! Não esqueça de cadastrar certinho seu email!

 

Já ouviu falar em emagrecer dormindo?

dormindo
Clique na imagem e saiba como é possível emagrecer dormindo!

 

 

9 dicas para acabar com a fome emocional!

12 comentários sobre “9 dicas para acabar com a fome emocional!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *